Serotonina: o que fazer para aumentar o hormônio da felicidade? - www.detoxhoje.com.br

Serotonina: o que fazer para aumentar o hormônio da felicidade?

Serotonina: o que fazer para aumentar o hormônio da felicidade?

Provavelmente, você já associou a serotonina e a felicidade. Isso porque ela funciona como um neurotransmissor. Como tal, a serotonina atua no cérebro, agindo principalmente na regulação do humor.

Mas, se você nunca ouviu falar sobre o hormônio, chegou ao lugar certo. Aqui, entenderemos o que é a serotonina, para que serve, quais as suas principais funções e como aumentar os seus níveis em nosso organismo.

A serotonina funciona como uma ponte de comunicação entre as células nervosas. Além disso, ela também está no sistema digestivo e em nossas plaquetas.

No senso comum, relacionamos esse hormônio à felicidade por suas principais funções. A serotonina pode regular o sono, apetite, sensibilidade e funções cognitivas, e mais.

Quando possuímos uma concentração baixa de serotonina, apresentamos oscilações drásticas de humor, ansiedade e dificuldade para dormir.

Mas, então, o que é e para que serve a serotonina?

Mas, então, o que é e para que serve a serotonina?

Basicamente, a serotonina é um hormônio neurotransmissor. Assim, essa molécula faz a comunicação entre as nossas células nervosas.

Por isso, as suas funções estão atreladas a diversas funções no nosso organismo, como habilidades cognitivas, o apetite e o sono. Mas, os médicos associam a serotonina principalmente ao nosso humor – coordenando funções intelectuais super importantes.

Na verdade, a serotonina é um estabilizador natural do nosso humor.

Por isso, entre as funções dessa substância, a principal é a capacidade de controlar as nossas emoções. Mas, além disso, ela também pode ajudar a regular a sensação de náuseas, por seu trabalho no processo digestivo (pouco reconhecido pelo público em geral).

Com todas essas áreas de atuação, para que serve a serotonina, afinal? Abaixo, selecionamos as principais funções desempenhadas pelo hormônio em nosso organismo:

Níveis de humor

Níveis de humor

Como a serotonina atua no cérebro como um neurotransmissor, ela é responsável por regular nosso humor. Assim, esse hormônio define níveis de ansiedade e felicidade. Por isso, com baixo nível de serotonina, o paciente pode desenvolver um quadro depressivo.

Controle intestinal

Controle intestinal

Muitos não sabem, mas a serotonina se apresenta em grande quantidade no estômago e intestino. Por isso, ela ajuda no controle de alguns movimentos do intestino.

Assim, quando precisamos eliminar toxinas do intestino, o nosso organismo aumenta a produção de serotonina. Dessa forma, o hormônio ativa transmissores que nos ajudam a controlar náuseas.

Noites de sono

Noites de sono

Como um neurotransmissor, a serotonina atua nas nossas noites de sono. Quando apresentamos baixa concentração desse hormônio, nosso ciclo circadiano se desregula e temos transtornos do sono e dificuldade para dormir.

Coagulação sanguínea

Coagulação sanguínea

Surpreendentemente, a serotonina atua até na nossa coagulação sanguínea. Quando nos ferimos, as nossas plaquetas liberam essa substância para auxiliar no processo de cicatrização. Então, a serotonina facilita a coagulação, por conta da vasoconstrição.

Desempenho sexual

Desempenho sexual

Pacientes do sexo masculino com baixo nível de serotonina podem ter problemas no desempenho sexual, apresentado impotência e disfunção erétil psicológica. Como hormônio responsável pelo nosso humor, a serotonina também se relaciona à libido e ao desejo sexual.

Assim, podemos definir a atuação da serotonina pelas regiões do nosso corpo. Dessa forma, temos:

  • Sistema nervoso: aqui, a serotonina atua na regulação em fatores como sono, apetite, humor, ansiedade e emoções. Como a ausência desse hormônio se relaciona a quadros depressivos, a substância passou a ser chamada de “hormônio da felicidade”.
  • Trato gastrointestinal: aqui, a serotonina atua nos movimentos intestinais, principalmente relacionados à digestão. Por isso, ela alivia as náuseas quando precisamos eliminar toxinas – como na diarreia.
  • Corrente sanguínea: aqui, a serotonina ajuda no processo de regeneração hepática. Em outras palavras, ela auxilia na expansão dos vasos sanguíneos e na cicatrização de feridas.

E como produzimos a serotonina?

E como produzimos a serotonina?

A serotonina é um hormônio que produzimos naturalmente. Para aumentar a sua concentração em nossa corrente sanguínea, podemos consumir alimentos ricos em triptofano e praticar exercícios físicos regularmente.

O triptofano, por sua vez, é um aminoácido essencial que desempenha uma série de funções importantes para o nosso metabolismo. Podemos encontrá-lo em diversos alimentos, como banana, peixes, grão de bico e mel.

Além disso, durante a prática de atividades físicas, o nosso corpo estimula a produção de serotonina e, também, de endorfina. Esses dois hormônios são neurotransmissores relacionados ao bem-estar. Dessa forma, com a alta concentração deles em nosso sangue, há a redução de níveis de ansiedade e estresse.

Como saber se a serotonina está em baixa?

Como saber se a serotonina está em baixa?

Pela influência no humor, há uma série de sinais que podem apontar a baixa concentração de serotonina na corrente sanguínea.

Entre as principais evidências, estão:

  • baixo desempenho seuxal;
  • irritabilidade e oscilações significativas de humor;
  • acordar cansado ou estressado;
  • desejo constante por chocolate;
  • dificuldade em concentração e aprendizagem.

            Dessa forma, dá para imaginar que baixa de serotonina pode trazer uma série de consequências negativas, além de levar para o desenvolvimento de problemas mais série. Aos primeiros sinais, procure acompanhamento médico e aconselhamento profissional.

Mas, fique tranquilo. Para te ajudar a elevar os níveis desse hormônio, selecionamos uma série de dicas práticas para acrescentar na sua rotina.

5 formas de aumentar os níveis de serotonina

5 formas de aumentar os níveis de serotonina

Como vimos, a baixa concentração de serotonina pode trazer uma série de consequências negativas – principalmente associadas ao nosso bem-estar.

Por isso, para evitar que isso aconteça, selecionamos uma série de dicas práticas que podem te ajudar a elevar os níveis de serotonina no sangue.

Então, para que o nosso organismo aumente a produção de serotonina, podemos investir em algumas estratégias, como adoção de exercícios físicos regulares, alimentação rica triptofano e atividades relaxantes.

Muitas vezes, no entanto, é preciso suplementação vitamínica ou alimentar. Para isso, consulte um profissional e receba orientação médica sobre o que tomar nesses casos.

Mas, para garantir o aumento de serotonina de maneira natural, veja as 5 dicas abaixo:

Exercícios físicos regulares

Exercícios físicos regulares

Segundo pesquisas, a prática regular de atividades físicas pode ajudar a aumentar os níveis de serotonina. Com os exercícios, o nosso organismo aumenta a liberação de triptofano – o aminoácido que se relaciona com a produção desse hormônio.

Por isso, depois que praticamos exercícios físicos, sentimos prazer pela atividade concluída. Essa é a serotonina agindo em nosso cérebro. Assim, também a melhora da qualidade de vida e bem-estar.

Exposição solar

Exposição solar

Estudos indicam que tomar sol todos os dias pode aumentar os níveis de serotonina. Isso porque a exposição solar garante vitamina D, que age na produção de triptofano. E, assim, consequentemente leva ao aumento de serotonina.

Mas, para isso, você deve estar atento. Dê preferência às horas do dia em que o sol é mais fraco (recomenda-se o banho de sol entre 10h e 15h). Nesse período, o índice de raios ultravioleta B, que auxiliam na absorção da Vitamina D, é maior.

Por causa da exposição, lembre-se de repor os líquidos. Capriche na água, chás e sucos após exposição solar. E, claro, nunca esqueça de passar o protetor solar, a fim de evitar danos à pele.

Alimentação rica em triptofano

Alimentação rica em triptofano

Uma vez que a produção de triptofano se liga ao metabolismo da serotonina, é importante que acrescentemos esse elemento à nossa dieta alimentar. Por isso, dê preferência a alimentos ricos desse aminoácido.

Entre os principais alimentos ricos em triptofano, estão a banana, laticínios, como queijo e iogurtes, grão de bico, peixes, chocolate amargo e mel.

Meditação e yoga

Meditação e yoga

Estudos indicam que exercícios relaxantes podem regular sinais nervosos, melhorando a atividade de neurotransmissores. Assim, com o aumento da atividade dos “hormônios da felicidade”, melhoramos a nossa própria qualidade de vida e bem-estar.

Por isso, atividades como massagem, meditação e yoga são recomendadas se a sua intenção é aumentar a concentração de serotonina em sua corrente sanguínea.

Com a regularidade desses exercícios, reduzimos a ação do cortisol – justamente o responsável pelo estresse. Com a inibição desse hormônio, criamos espaço para ação da serotonina.

Suplementos

Suplementos

Caso essas estratégias não sejam eficientes, provavelmente há deficiência de alguma vitamina ou mineral importante para o funcionamento total do sistema nervoso. Por isso, recomendamos o aconselhamento profissional médico.

Nesses casos, são utilizados suplementos que promovem o aumento da concentração de triptofano no organismo. E, assim, a consequente liberação da serotonina.

20 alimentos que aumentam a produção de serotonina

20 alimentos que aumentam a produção de serotonina

Quando dizem que você é o que você come, podemos relacionar essa frase com a serotonina. Uma vez que a deficiência desse hormônio pode provocar transtornos de humor, os nossos sentimentos acabam definidos pela frequência dessa substância em nosso organismo.

Assim, podemos alimentar os níveis de serotonina a partir da nossa dieta. Com esse aumento, melhoramos o nosso sono, memória e bom humor.

Então, para esse aumento de felicidade e qualidade de vida, devemos incluir alimentos ricos em triptofano em nossa programação alimentar. Para te ajudar nessa missão, fizemos uma seleção completa dos alimentos.

Além dos alimentos ricos desse aminoácido, também é importante a inclusão de cálcio e magnésio. Com isso, nosso organismo garante uma melhor proteção e produção da serotonina, estimulando a sua produção e ação

Por fim, de acordo com estudos recentes, a nossa flora intestinal também pode influenciar no comportamento. Por isso, o consumo de fibras e probióticos pode auxiliar na manutenção dos níveis de serotonina.

Pensando nisso, fizemos uma lista de alimentos completa para nunca sair da sua dieta. Eles devem ser consumidos ao longo de todas as refeições. E, esteja atento. Além da alimentação, atividades físicas, exposição ao sol e meditação também são importantes para o controle do nosso humor. Dessa forma, vivemos dias mais equilibrados e felizes.

Confira a lista completa abaixo:

  1. Queijo
  2. Frango
  3. Peru
  4. Ovos
  5. Salmão
  6. Banana
  7. Abacate
  8. Abacaxi
  9. Couve-flor
  10. Brócolis
  11. Batata doce
  12. Beterraba
  13. Ervilhas
  14.  Nozes
  15. Amendoim
  16. Caju
  17. Castanhas
  18. Soja
  19. Algas marinhas
  20. Cacau.

Afinal, depressão é falta de serotonina?

Afinal, depressão é falta de serotonina?

A depressão é uma doença grave, que acomete uma porção significativa de brasileiros. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 11 milhões de brasileiros sofrem com esse transtorno.

Assim, a depressão é um distúrbio mental, também chamado de transtorno depressivo maior. Pessoas com quadro depressivo têm todas as áreas de sua vida afetadas negativamente.

Entre os sintomas mais comuns, estão a perda de interesse, tristeza profunda, baixa autoestima, insônia e constantes alterações de humor. A depressão leva a uma série de problemas emocionais – e, muitas vezes, físicos – que comprometem o bem-estar do paciente.

Causas da depressão

Causas da depressão

A depressão pode ser causada tanto por fatores genéticos quanto por fatores externos. Assim, ela pode surgir a partir de uma situação que gera impotência, como divórcio e falência, bem como aparecer sem motivo aparente.

No caso de eventos externos, chamamos esses ativadores de gatilhos. Esses acontecimentos desencadeiam episódios depressivos, que podem se agravar e levar a um quadro de depressão. Diferentemente da tristeza, a depressão só pode ser curada a partir de um tratamento. Enquanto isso, a tristeza é passageira e, geralmente, tem uma origem específica.

Assim, de acordo com o Ministério da Saúde, o cérebro de um paciente deprimido apresenta alterações químicas em neurotransmissores, como a serotonina, que tanto falamos neste post.

Dessa forma, a depressão pode ser causada por um desequilíbrio químico, geralmente associado à deficiência de serotonina, a genética, quando há casos de transtorno depressivo na família, e a eventos estressantes que podem ativar episódios depressivos.

Tratamento para a depressão

Tratamento para a depressão

Até hoje, a depressão é tratada como tabu. E, assim, a desinformação colabora com a falta de tratamento. Muitas pessoas subestimam a doença por se tratar de um transtorno psicológico. No entanto, é importante desconstruir preconceitos acerca da depressão. Afinal, ela pode ser uma doença silenciosa e muito perigosa.

Para o tratamento da depressão, costuma-se prescrever medicamentos e aconselhar acompanhamento psicoterápico.

Ainda que nada possa substituir os remédios e a terapia, há algumas práticas para implementar no dia a dia que ajudam a prevenir episódios depressivos.

Assim, é importante buscar uma alimentação saudável, a prática de exercícios físicos regulares e manter uma rotina de sono constante. Essas atividades diminuem os nossos níveis de cortisol – responsável pelo estresse.

Então, com o tempo, a implementação dessas atividades em sua rotina podem trazer resultados positivos a longo prazo.

E existe remédio para aumentar serotonina?

E existe remédio para aumentar serotonina?

Vimos como a falta da serotonina pode ser prejudicial. A ausência desse hormônio pode até nos levar a episódios depressivos.

Por isso, é sempre importante que sustentemos números ideais de serotonina em circulação. Mas, então, existe remédio para aumentar a serotonina?

Não. Você deve entender que não existe qualquer medicamento no mercado farmacêutico que aponte “serotonina” em sua composição.

No entanto, há remédios, como os próprios antidepressivos e ansiolíticos, que trabalham com a estimulação da serotonina. Assim, a sua atuação envolve aumentar a concentração desse hormônio em nosso cérebro.

A serotonina e os outros hormônios da felicidade

A serotonina e os outros hormônios da felicidade

Por agir diretamente em nosso estado emocional, a serotonina passou a ser chamada de hormônio da felicidade. Assim como ela, há outros neurotransmissores que podem gerar sensações como a alegria e o bem-estar.

Eles também são produzidos naturalmente pelo nosso organismo, e costumam ser liberados em situações específicas.

Neurotransmissores, no geral, são mensageiros químicos. Assim, a missão deles é equilibrar as conexões entre as células nervosas e outras partes do corpo.

Além de provocar sensações, eles também podem afetar funções físicas. Então, também podem agir na nossa frequência cardíaca, sono e apetite. Vamos conhecer um pouco mais sobre eles?

Dopamina

A dopamina é um neurotransmissor envolvido principalmente no prazer da recompensa. Quando completamos uma tarefa ou superamos um desafio, o nosso cérebro libera esse hormônio em forma de prazer.

Além disso, a dopamina também faz parte da cognição, controle motor e do humor. Ela influencia diretamente as nossas emoções por fazer parte do “sistema de recompensa” – um circuito neuronal em nosso cérebro.

Assim, ela dá motivação para que realizemos atividades e garante o prazer da conclusão. Por causa dela, sentimos felicidade depois de comer quando se tem fome.

Por isso, pelo aumento da sensação de prazer, drogas atuam diretamente na atividade da dopamina. Drogas sintéticas alteram o nosso sistema de recompensa a longo prazo, e causam dependência justamente pelos picos de dopamina liberados pelo cérebro.

Endorfina

Endorfina

A endorfina tem a sua produção na glândula hipófise, e também se configura como uma substância natural do nosso cérebro.

Esse neurotransmissor tem o poder de inibir o estresse. Assim, ela pode colaborar para a nossa sensação de bem-estar. O que acontece é que ela vem liberada justamente em situações de dor, como um analgésico.

A endorfina tem a sua produção aumentada, principalmente, depois da prática de exercícios físicos ou atividade sexual.

Ocitocina

Dentre os neurotransmissores, a ocitocina é o mais encontrado em forma de medicamento. A ocitocina é produzida pelo hipotálamo, e leva a fama de “hormônio do amor”.

Isso porque estudos indicam a sua eficácia em potencializar o desejo sexual. Mas, além disso, esse hormônio é ativado na hora do parto, promovendo contrações musculares uterinas.

Esses foram alguns dos principais neurotransmissores, liberados naturalmente pelo nosso cérebro, e que conhecemos como “hormônios da felicidade”.

Gostou do artigo de hoje 5 passos para melhorar a qualidade dos seus cabelos? Deixe seu comentário, compartilhe com o máximo de pessoas que conseguir e siga nosso instagram > DETOX HOJE

DESINTOXIQUE SEU INTESTINO E EMAGREÇA RAPIDAMENTE CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS! nhas

Sobre o Autor

Fabricio
Fabricio

Fabrício Policarpo é apaixonado por vida saudável e adora pedalar, praticar atividades físicas e se alimentar bem. É o fundador do Blog Detox Hoje, que nasceu devido a necessidade por informações de qualidade sobre saúde, bem estar e emagrecimento saudável que as pessoas estão precisando nos tempos modernos onde cada vez mais o número de pessoas acima do peso está aumentando. Nos tempos atuais até crianças estão tendo problemas com a obesidade e também com doenças mais graves como o câncer devido ao estilo de vida moderno e também problemas respiratórios devido a poluição. O Detox Hoje foi criado para ajudar o maior número de pessoas possível a obterem uma saúde e estética melhores. E seguindo as dicas e recomendações aqui passadas com certeza você vai conseguir obter excelentes resultados. Não esqueça de ativar as notificações para que você não perca novos artigos no blog.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *